Atualidades

Desafio: cuidar dos filhos e trabalhar

Conciliar produtividade com atenção full time às crianças requer disciplina e compreensão, dizem especialistas

Por 2min
1 de abril de 2020

Pais e mães têm enfrentado um desafio imposto pela quarentena: conciliar a produtividade no trabalho com a criação dos filhos full time, sem ajuda de empregados – também isolados – nem creche ou escola, por recomendação da OMS. Para muita gente, uma novidade. Na quarentena de lives da Reserva, nesta terça-feira (31/3), o tema foi tratado por Suzana Zaman e Luciana Cattony, sócias da Maternidade nas Empresas, consultoria de treinamento e orientação profissional.

– A autodisciplina e a motivação serão fundamentais nesse novo momento, vamos aprender a trabalhar de uma nova forma. Lidar com todo o trabalho da casa somado ao trabalho vai nos fazer ser profissionais melhores – disse Suzana. – É fundamental entender com quem está na casa qual pode ser a divisão de tarefas, combinar horários de reuniões que sejam melhores pra sua rotina.

Elas indicaram a criação de listas de tarefas a serem cumpridas para ajudar a administrar “o caos”. Essas listas podem ser desdobradas dia a dia e também nas microtarefas.

– Isso vai dar uma luz pra entender o quão produtivos estamos sendo, riscar da lista é perceber o quanto fomos produtivos – disse Luciana, que sustentou que vamos precisar aprender a trabalhar por demanda, e não por horário.

 

Sem culpa: não vamos fazer tudo 100%, mas o melhor que a gente pode

Uma boa conversa com o chefe também deve ser levada em consideração, para expor as dificuldades para que fique claro ao gestor.

– É importante para entender qual melhor horário para todos, adaptar horários de reuniões em momentos que não sejam, por exemplo, na hora do almoço na sua casa – explicou Luciana. – Temos que ser flexíveis quanto a nós mesmo, entender que é um momento difícil, não somos super-heróis. Vamos tirar um pouco a culpa, não vamos fazer tudo 100%, mas vamos fazer o melhor que a gente pode, para passar esse momento de forma mais leve.

Suzana afirmou que estabelecer itens “negociáveis e inegociáveis” em relação a horários também pode ajudar:

– Em relação aos filhos, nós precisamos explicar a eles o que é o nosso trabalho, dialogar sobre momentos que não pode interromper. Por exemplo, o momento em que estou com a porta fechada meu filho entende que eu não posso ser interrompida, que é a hora de uma reunião. Quando estou com a porta aberta, ele entende que posso ser interrompida, quando estou apenas escrevendo um e-mail, fazendo tarefas mais simples – disse. Este tipo de comunicação pode ser feito de forma lúdica, como a colocação de fitas coloridas com significados diferentes.