Atualidades

Reserva agora é empresa B

Certificação reconhece negócios que colocam o interesse nas pessoas e no planeta acima do lucro

Por 2min
11 de março de 2020 Atualizado em 20/03/2020 às 22:34

A Reserva acaba de receber o selo do sistema B – reconhecimento dado a negócios que colocam o interesse nas pessoas e no planeta acima do lucro. É a maior empresa do ramo de moda da América Latina a entrar para o movimento global, ao lado de marcas como Patagonia, Ben & Jerry’s, Kickstarter, Athleta, Vert, Natura e The Bodyshop. Leia aqui sobre o anúncio feito via Instagram.

– Tem pessoas que sonham em ser grandes. Outras, multimilionárias. Nós sonhamos em deixar para os nossos filhos um mundo melhor do que aquele que recebemos. É um orgulho gigantesco podermos nos juntar ao seleto grupo de marcas das quais somos fãs e com quem aprendemos tanto – diz Rony Meisler, CEO da Reserva. Segundo ele, estar no Movimento B  significa a consolidação do propósito da marca – cuidar, emocionar e surpreender as pessoas todos os dias.

– Essa certificação é feita na base das práticas que temos implementadas, promessas não contam na análise – explica Jayme Nigri, COO da Reserva. – O motivo pelo qual buscamos o sistema B é porque é uma comprovação, talvez a com maior credibilidade no mundo, de que a gente tá fazendo o que a gente se propôs. Nossa atitude não foi fazer coisas para o sistema B, mas pegar coisas que já temos aqui e ver se isso funciona para os níveis de exigência do sistema B.

Para virar uma Empresa B Certificada, o negócio passou por uma avaliação detalhada, na qual a empresa necessitou comprovar diversas práticas nas 5 dimensões da Avaliação de Impacto B durante sete meses, em todas as suas áreas, e também na relação do grupo com seus colaboradores, consumidores, fornecedores, comunidades e meio ambiente.

 

Jayme lembra que certificação é feita a partir de práticas implementadas; Rony diz que é a consolidação do propósito da marca

 

– As empresas certificadas B comprovadamente atendem a altos padrões de desempenho social e ambiental, transparência e responsabilidade fiscal, sempre equilibrando prosperidade financeira e propósito. As Empresas B estão acelerando uma mudança de cultura global que redefine o sucesso nos negócios e constrói uma economia mais inclusiva e sustentável – explica Francine Lemos, diretora executiva do Sistema B.

Os critérios e exigências para certificação abrangem cinco principais áreas:

– Governança:  Inclusão das Cláusulas B no contrato social da empresa, que garante o compromisso de considerar todos os stakeholders nas tomadas de decisões. Existe também um compromisso formal de todos os acionistas em perseguir a geração de valor de longo prazo para a empresa, levando em conta os efeitos econômicos, sociais e ambientais. É um compromisso em gerar o bem. Além do alto nível de auditoria externa sobre as finanças.

– Trabalhadores: As licenças maternidade (6 meses) e paternidade (de 45 dias) ajudaram a reforçar o caráter humano dos métodos de trabalho do grupo, assim como o projeto “Cara e coroa”, que contrata profissionais acima dos 70 anos. A Reserva também tem uma escola própria de treinamentos aberta a todos os colaboradores (a Escola de Rebeldia), a possibilidade de participação societária a partir do Programa de Notáveis e um projeto de “Realização dos Sonhos”, que premia os colaboradores mais engajados.

Essa certificação é feita na base das práticas que temos implementadas, promessas não contam na análise

– Comunidade:  O impacto social provocado pelo projeto 1P5P, que ajuda a viabilizar cinco pratos de comida a cada peça vendida, é um dos diferenciais. A Reserva não recebe qualquer incentivo fiscal pelo projeto e todos os resultados e prestações de contas são públicos. Até o momento da certificação, a marca já havia complementado mais de 35 milhões de refeições para quem tem fome no país.  Ganharam destaque a porcentagem de mulheres no quadro de colaboradores, a presença feminina em cargos de liderança e a prioridade que o grupo dá aos fornecedores nacionais (que é de aproximadamente 90%). Além disso, a Reserva assumiu o protagonismo no diálogo sobre masculinidades tóxicas, buscando melhor compreender o problema, a partir de uma parceria com o “Papo de Homem” e o “Memoh”.

– Meio Ambiente:  O grupo conta com a chancela do selo ABVTEX, que garante junto aos fornecedores uma atuação idônea e socialmente responsável. Destaque também para o uso de energia renovável e o uso crescente de matérias-primas orgânicas, pouco poluentes e recicladas. Hoje, 100% das camisetas gráficas da marca são de algodão orgânico e solas de tênis são feitas a partir do reaproveitamento de calçados antigos. Além disso, recentemente, a Reserva foi a primeira empresa brasileira a assinar o Fashion Industry Charter, compromisso assumido com a ONU para a neutralização total do carbono em seus processos até 2030.

– Clientes:  A entrega do propósito do grupo, que é “Cuidar, emocionar e surpreender”, ganhou um empurrão com tecnologias desenvolvidas para que o cliente tenha acesso, de modo escalável, a um suporte de atendimento humano e afetuoso. Softwares de reposição automática e de antecipação dos desejos, além de soluções como o “Faça VC”, personalização das peças, transformam a relação consumidor-marca. Destaca-se também o programa “Movendo o Céu e a Terra pelo cliente”, que dá liberdade às equipes de loja para criarem experiências memoráveis. As lojas do grupo têm spas, barbearias, cafeterias e até sala VIP em lojas de aeroportos.