Atualidades

Todo dia é dia de pica-pau

Reserva relança 40 estampas da coleção de 2015 que tinha a ave-símbolo da marca como protagonista a cada dia

Por 2min
30 de abril de 2020

Em 2020, a Reserva completa 14 anos de vida. Desde sempre a marca é representada pelo pica-pau. O mascote foi criado pela designer Márcia Cabral, que nos primórdios ajudou a construir o branding da Reserva. Curiosamente, o pica-pau não foi a primeira opção sugerida por Márcia. Como narra Rony Meisler no livro “Rebeldes têm asas”, “o pica-pau nasceu do lixo”.

– Foi com o pica-pau na fachada e bordado no peito que inauguramos a loja de Ipanema. Ele nos permitiu o reconhecimento nacional da marca – diz o CEO da Reserva no livro.

Como se sabe, o mascote caiu no gosto da galera. Em 2016, em comemoração aos 10 anos da marca, alçou um de seus voos mais bacanas, o projeto 365 Pica-paus, criado pelo time que então fazia a Agência Reserva, sob o comando de Adriana Omena.

– Foi uma contagem regressiva para o 10º aniversário. Lançamos no dia em que fizemos 9 anos – lembra Omena. – A gente buscava as datas para associar cada pica-pau, mas nem sempre tinha, então precisamos tirar alguns coelhos da cartola – diz.

São Jorge, a cultura nordestina, o goleiro, Giuseppe Garibaldi, Van Gogh, Elvis, entre centenas de outros – o que você imaginar, tem! – fazem parte da galeria. A boa nova é que os 40 mais amados pelo público acabam de ser relançados, numa referência à quarentena. Um pica-pau por dia – quando a arte entra no site, a um preço promocional de R$ 99.

– Foi um dos maiores fenômenos de venda da marca, ganhou um tamanho que a gente não imaginava, a ponto de as lojas físicas também quererem o pica-pau. Era pra ter sido um projeto 100% digital, e a gente acabou migrando pro varejo – recorda Adriana Omena. – Era impressionante, a gente andava na rua e onde ia tinha alguém usando um pica-pau de alguma coisa. Foi uma época muito legal e gostosa – diz.

A propósito: você já viu nossa homenagem (em forma de pica-pau, claro) aos profissionais da saúde?