Atualidades

‘Você não precisa se ajustar’

No Dia do Gordo, Reserva reforça seu compromisso de marca humanwear: 'Somos nós que nos ajustamos a você'

Por 2min
10 de setembro de 2020 Atualizado em 17/09/2020 às 08:28

10 de setembro. No calendário, “Dia do Gordo” – uma ótima oportunidade, portanto, para reforçar o conceito da Reserva de ser uma marca humanwear. Isso significa que não importa o corpo, a raça, as crenças ou a personalidade: “Você não precisa se ajustar. Somos nós que nos ajustamos a você”, como diz a campanha-manifesto Livre Pra Ser, lançada ano passado (a linha 3G é de 2013, e constante em todas as coleções desde então). Que tal então listar algumas obviedades que precisam ser ditas?

1 – Magros não devem ditar as regras para gordos, assim como brancos não devem ditar para negros, ou héteros para homossexuais. Ser gordo não mede caráter. Portanto, se você está confortável no seu corpo, o aceita – e, mais que isso, gosta de ser gordo –, ninguém tem nada a ver com isso.

2 – Dito isso: você não precisa aparentar ser mais magro, a não ser que queira. Só se ligue naquelas regras do senso comum que fazem o gordo parecer mais magro se isso te fizer bem.

3 – Da mesma forma, roupas apertadas são desconfortáveis. Não se aperte nelas a não ser por sua livre e espontânea vontade.

4 – Muitas vezes, pela produção em massa, marcas seguem padrões. (Sim, também há algum preconceito embutido aí: 55,7% da população adulta do país está com sobrepeso e 19,8% é obesa, e no entanto apenas 5% das peças de roupa vendidas no Brasil, de acordo com a Abravest (Associação Brasileira do  Vestuário) são acima do tamanho GG). Por isso, não é pecado mandar ajustar uma peça (mas vale repetir: você não precisa se ajustar). Conheça o Atelier Reserva, serviço disponível no Rio e em São Paulo (peças do Grupo Reserva têm desconto de 25%).

5 – Prefira roupas de fibras naturais, como algodão e linho. Elas são mais leves e respiram melhor. As fibras sintéticas esquentam mais e vão te fazer suar.

6 – Exercício físico não deve ser encarado como punição ou como ferramenta estética, e sim para o seu bem estar.

7 – Você já deve ter percebido que usamos neste post a palavra “gordo”, sem nenhuma censura. Óbvio, né? “Gordo” não é ofensa, assim como “magro” não é elogio. Por falar nisso, nunca chame alguém gordo de “plus size”, assim como você não se refere a um magro como “standard”.