consultoria de estilo

Oxford, nossa queridinha

Camisa Oxford clássica sofre constante avaliação de modelagem pela Reserva, para permanecer sempre atual

Por 2min
25 de Maio de 2020

Por aqui, nós a temos chamado de “a queridinha dos empreendedores”. E é mesmo. As camisas Oxford levam esse nome por causa do tecido, um tipo específico de algodão, encorpado e resistente, mas com toque suave e agradável. A trama, mais aberta que o padrão, combina dois filamentos finos, o que proporciona um melhor respiro.

A camisa fica mais leve e confortável, adequada ao nosso clima – você não precisa sofrer, a bordo de uma Oxford Reserva.

“Clássico” é pouco para definir o tecido Oxford: o estilo de tecelagem vem do século XI, na Escócia (e não de Oxford, Inglaterra, como seria mais fácil supor). Desde os anos 1930, sem interrupção, estão no guardarroupa masculino no mundo inteiro. Mas como buscar uma leitura própria para um clássico como esse?

 

 

– Um item clássico precisa de cuidados muito sutis para não descaracterizar sua essência. Nosso cuidado é uma constante avaliação da modelagem da peça. Analisando as proporções de gola, vista, punhos e shape, para que a camisa se mantenha conectada com o tempo presente – explica Igor de Barros, estilista da Reserva, que ressalta o design limpo e seco como um diferencial da marca em relação à concorrência. Na Reserva, ela está disponível em mangas curtas ou longas.

A essa altura você já adicionou uma Oxford ao seu carrinho, mas provavelmente está se perguntando o que combina com elas. Vai, então, a prometida consultoria de estilo:

Jeans e tênis para os mais jovens, ligado nas tendências, e para os clássicos cai superbem calças de alfaiataria – dá a dica Igor.

Por falar em multiuso: a Oxford da Reserva não amassa com facilidade e não requer qualquer frescura para lavar, o que a torna uma excelente opção para viagens de lazer ou negócios.