consultoria de estilo

A alfaiataria esportiva da Umbro

Marca tinha como propósito levar elegância ao esporte (e, de fato, muitos craques que 'jogavam de terno' vestiram Umbro)

Por 2min
31 de julho de 2020 Atualizado em 06/08/2020 às 14:41

Em 1934, na final da FA Cup britânica, o Manchester City venceu o Portsmouth por 2 a 1, no mítico estádio de Wembley, diante de 93.258 pessoas. Mas quem mais tinha motivos para comemorar eram os irmãos Harold e Wallace Humphreys, que vestiram as duas equipes. Ao lançarem uma marca de material esportivo dez anos antes, não poderiam imaginar que chegariam tão longe, e tão rapidamente. E era apenas o começo. Os “Hum Brothers” – eternizados como “Umbro” – ainda vestiriam equipes icônicas como as Seleções Brasileiras de 1958, 1970 e 1994, entre centenas de campeões.

 

 

A marca, originária de Manchester, tinha como propósito fazer alfaiataria para o esporte (e, de fato, muitos craques que “jogavam de terno” vestiriam Umbro). Observando o sucesso que o futebol fazia no começo do século na Inglaterra, perceberam que o campo era imenso. Naquela época, quase nenhuma tecnologia era aplicada às roupas esportivas. Foram pioneiros.

Com as penas do pica-pau como escudo, criamos o Reserva Woodpeckers na colabe com a Umbro

 

Aliaram o conceito da alfaiataria à urgência, prometendo entregar seus produtos em até 48 horas após as encomendas, e fundaram uma fábrica própria.  Harold havia trabalhado, desde os 13 anos, em indústrias têxteis, e já tinha a expertise.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Umbro interrompeu sua produção esportiva para participar do esforço de guerra. Saíram camisetas, shorts e chuteiras, entraram revestimentos para máscaras de gás.

Em Helsinque-1952, pela primeira vez toda a equipe olímpica britânica vestiria a marca; em 58, como já dito, seria a vez do Brasil, na Copa do Mundo; e, em 1966, no controverso título mundial inglês, a equipe da casa também vestia Umbro. A partir dos anos 70, o logo de Diamante Duplo passou a ser introduzido nos uniformes. Nos 90s, a criação da chuteira Speciali, com couro italiano, foi um evento à parte; em 2018, foi a vez da primeira chuteira de couro sem cadarço no mundo.

Com tanta história pra contar, um capítulo foi escrito com a Reserva +, numa colabe especialíssima.

– Quando começamos a desenhar essa colabe não pensamos duas vezes: “vamos criar o nosso próprio time de futebol”. Assim nasceu o Reserva Woodpeckers! O mascote foi, claro, o pica-pau – lembra Adriana Omena, diretora da Reserva+, núcleo de desenvolvimento de produtos em parceria com outras marcas. – A coleção teve como inspiração a atmosfera britânica dos anos 90, misturando o universo esportivo com o casual – diz.

As peças da colabe são repletas de referências retrô, como o color blocking de cores primárias na jaqueta windbreaker e no blusão de moletom. O mix ainda conta com shorts de nylon e calça jogger, ambos com o galão lateral clássico da Umbro. Destaque também pra polo esportiva manga longa e pros dois pares de tênis exclusivos.

Golaço. Clicando na foto abaixo, você vai direto para os itens da coleção.

 

 

Quer conhecer as histórias de outras marcas? Aqui falamos sobre a Vans; e aqui, sobre a New Balance.