Empreender

Birkenstock, design à prova do tempo

Com mais de dois séculos de história, sandálias alemãs são sucesso em todo mundo - e no site da Reserva

Por 2min
9 de setembro de 2020 Atualizado em 17/09/2020 às 08:24

Simplicidade, funcionalidade e atemporalidade são palavras-chave para compreender a dimensão do design alemão. Servem também para resumir as sandálias Birkenstock. E podemos incluir ainda uma quarta palavra definidora para ambos: tradição.

Afinal, ano passado, a Bauhaus, primeira escola de design do mundo, completou um século fiel a seus princípios. Já a Birkenstock – ou Birken, pra quem quiser – nasceu em 1774, fundada pelo sapateiro Johan Birkenstock. Embora só tenha de fato se tornado uma empresa em 1896, pelas mãos de seu tataraneto, Konrad. Foi ele quem passou a produzir palmilhas flexíveis ortopédicas que deram fama mundial ao sobrenome que virou marca.

Em 1925, já era um enorme sucesso em sua terra natal. Nos anos 30, com endosso dos médicos, os calçados que saíam de suas fábricas formaram uma geração de podólogos alemães. No fim dos anos 40, outro descendente da família – agora Carl – lança sua teoria sobre a “marcha natural”, o sistema de pegadas, reforçando a crença na funcionalidade das sandálias Birken.

Na década de 60, a americana Margot Fraser descobriu a sandália quando fazia uma viagem de férias à Alemanha. Estava mais precisamente num spa quando um instrutor de ginástica lhe aconselhou que testasse uma Birken, já que se queixava de uma dor crônica nos pés. Ao experimentar, sacou imediatamente o potencial do calçado, e o levou para os Estados Unidos – e para o mundo – mesmo sem uma experiência prévia como empreendedora, e sem qualquer linha de crédito.

 

O primeiro público a consumir Birkenstocks nos Estados Unidos foram participantes de um congresso sobre alimentação saudável – Fraser percebeu que aquele era um nicho para suas sandálias. Bingo. Some-se a isso o crescimento do movimento hippie, que estava mais preocupado com a função do que com a moda. E, ironicamente, a Birkenstock virou moda, como o próprio movimento hippie.

Nas décadas seguintes, a Birkenstock faria uma série de colabes com marcas de moda.

– Basicamente, Birkenstocks são como jeans, funcionais e sexy. Talvez sejam até mesmo os sapatos mais sexies da história – definiu o estilista Richard Owens.

– Não importa o que você usa, quem você é, não importa seu gênero ou origem social. Não importa sua idade, seu estilo, se você se importa ou não com moda. Birkenstock tem a sua própria linguagem universal – avaliou Pierpaolo Piccioli, CEO da Maison Valentino.

Agora funcionais e na moda, tornaram-se sandálias eternas. Atualmente, a empresa conta com 3 mil funcionários e é vendida em 90 países de todos os continentes.

A Birkenstock é uma das marcas penetras no site da Reserva. Confira os modelos disponíveis.

Curtiu? Veja também:

Kanken, mochila pra todo dia

Vert, do Brasil para o mundo

A revolução Vans