Empreender

Do quintal para a mesa

Empresa oferece cursos e kits para quem quiser aproveitar a quarentena para fazer sua própria horta em casa

Por 2min
18 de Maio de 2020

do quintal para a mesa

 

“Neste momento está muito na cara a necessidade de mudança cultural que a gente precisa estabelecer. Em termos de relações econômicas, sociais, com a natureza”. A frase é de Tomás Deleuse Mendonça, um dos co-fundadores da Carpe. Mas a batalha dele por essa mudança é anterior a este momento.

A consultoria que Tomás criou com três colegas de faculdade de Geografia trabalha com agrofloresta e agricultura urbana, gestão de resíduos e educação (cursos e capacitações).

Antes da pandemia, o negócio seguia numa espiral ascendente. Para Tomás, “as pessoas estão entendendo a necessidade de cuidar da Terra, consumir alimentos de mais qualidade e cuidar dos recursos como um todo”. E isso levava ao desejo de se alimentar de produtos feitos em casa, numa horta que pode estar no quintal ou numa varanda.

Se, por um lado, a crise sanitária deu uma diminuída na velocidade do negócio, por outro incentivou o planejamento de um curso online, no qual será proposto que cada um crie seu próprio projeto de agricultura urbana, e a criação do kit Plante em Casa, em que o cliente recebe tudo pronto para ser plantado.

– As pessoas ganharam mais tempo para olhar para as plantas, cozinhar. Isso restabelece uma conexão saudável – avalia Tomás, que também dá aulas na Jangada, de educação infantil, e é diretor ambiental da ONG Harmonicanto, projeto social de música na favela do Cantagalo que também conta com oficinas ambientais.

Por falar em educação: olho vivo nas empresas que praticam o chamado greenwashing – em outras palavras, quem se apropria de virtudes ambientalistas, através do Marketing, sem de fato fazer diferença para a sociedade. Mas também sem pré-julgamentos, como alerta Tomás:

– Temos que tomar cuidado para não julgar de imediato, olhando por um período, para checar se é verdade, se as coisas estão acontecendo. O nível de ‘cancelamento’ nos dias atuais é imenso, então tem que tomar cuidado.