Empreender

Fé no negócio do café

Coronavírus faz setor cafeeiro explodir exportações, e marcas buscam soluções criativas para vender na crise

Por 2min
24 de Maio de 2020

É provável que você já tenha tomado pelo menos uma xícara hoje, mas nem estava sabendo: neste 24 de maio se comemora o Dia Nacional do Café. A data simboliza o início da colheita em boa parte das regiões cafeeiras do país, maior produtor mundial do grão. Mas, para além da questão agrícola, que desde o século XVIII tem força no país, o que se celebra é a cultura do café, que a cada dia ganha mais adeptos.

Assim como já aconteceu primeiro com vinhos, cervejas artesanais, e começa a rolar com pães de fermentação lenta, entendidos de café têm se multiplicado por aí – felizmente, porque isso significa que, muito mais que a quantidade, importa a qualidade do produto.

– Podemos dizer que o mercado brasileiro já consome entre 1 e 2 milhões de sacas de cafés especiais (com pontuação acima de 80). Ou seja, entre 5 e 10% do consumo nacional – diz Vanusia Nogueira, diretora executiva da BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais). – Estamos muito bem posicionados em termos de qualidade perante os compradores de café (importadores, distribuidores), mas ainda perseguimos desafios em relação à imagem junto aos consumidores finais em alguns mercados – explica.

A safra deste ano, de 60 milhões de sacas, é pouco menor que a de 2018, recorde histórico. E, por incrível que pareça, a crise do coronavírus teve um efeito positivo em alguns elos da cadeia do negócio: a exportação, as grandes indústrias e os comerciantes do varejo.

– Houve um boom de exportações ente março e abril para suprir os mercados que venderam muito nas “compras por pânico” e também pelos canais de e-commerce. Agora praticamente não existe mais café no Brasil a ser exportado – conta Vanusia. – Grandes indústrias e varejistas venderam muito acima da média em praticamente todo o mundo.

Por outro lado, as dificuldades que atingem praticamente qualquer negócio neste período de pandemia chegaram também a microtorrefações e cafeterias, com um tombo de 76% (aqui uma lista de microempreendedores, para quem quiser comprar diretamente). Com as lojas fechadas e queda abrupta no faturamento – e a maioria absoluta com dificuldades de crédito –, os empreendedores focam no e-commerce (que cresceu 49%) e no delivery.

– Com a pandemia, praticamente 80% da nossa base fechou as portas. A partir daí, procuramos não nos afastar dos clientes. Varejo foi o único canal que vem performando muito bem, pois o consumo migrou quase 100% para os mercados – diz Bruno Lazoski, da torrefadora carioca Moccato, especializada em grãos nacionais.

No processo de reinvenção, a marca buscou alternativas como parcerias nas entregas.

– Mesmo clientes que não têm perfil de café (o Brewteco, por exemplo), estamos fazendo parcerias. Com mais R$ 1 no pedido, o cliente leva uma cápsula. Tipo o Mc Donald’s, que aumnta batata, boa mais queijo ou bacon… Outros clientes estão dando de brinde nossas cápsulas, principalmente quando o pedido é feito por plataformas alternativas, já que o iFood cobra uma porcentagem alta e tira margem dos pontos de venda – conta Bruno.

E, finalmente, a estratégia voltada aos clientes finais é de acelerar inscrições no clube de assinantes. Pessoas que trabalham em escritórios e migraram para o home office, por exemplo.

Para celebrar o Dia do Café (segunda bebida mais consumida no mundo, atrás apenas da água e segundo produto mais comercializado no mundo, perdendo apenas para o petróleo), o designer Fernando Degrossi criou o Pica-pau Café, que agora estampa camisetas nas cores branca, preta e cinza mescla. Ótimo dica para quem não dispensa o ouro verde diariamente.

Um drink para celebrar o Dia do Café

Drink Moccato – Mojito com café (receita fornecida pelo mestre de torra Emerson Freitas)

1 Dose de Rum

10 folhas de Hortelã

½ limão espremido

5 pedras de gelo

Um pouco de açúcar

*Bata tudo na coqueteleira

*Despeje o conteúdo num copo “long drink”

*Derrame Club Soda ou água com gás até chegar a dois dedos da borda do copo

* Uma dose de espresso Moccato