Futuro do varejo

O propósito do capitalismo

Hugo Bethlem diz que pandemia serve para repensarmos os negócios e o planeta que queremos ter

Por 2min
16 de outubro de 2020 Atualizado em 28/10/2020 às 08:04

Temos que sair da pandemia renovados de esperança que esse tempo nos ajudou a refletir sobre que tipo de negócio queremos ter e em qual tipo planeta queremos viver

 

Hugo Bethlem é diretor geral do Instituto Capitalismo Consciente Brasil, além de conselheiro de empresas e ONGs. Acumula mais de 40 anos como executivo de varejo em empresas como GPA, Dicico, Sé Supermercados, Hopi Hari, Carrefour e Arthur Andersen. É formado em Administração de Empresas pela FMU-SP, com especializações na FGV, Cornell, Babson, IMD e Stanford. Ele se diz “inconformado com o jeito de se fazer investimentos e negócios no Brasil”, e é um dos palestrantes confirmados no festival O que o futuro (do varejo) nos Reserva?, que acontece de 26 a 30 de outubro, de forma 100% online e gratuita (as inscrições estão abertas). Ele bateu um papo com 2min sobre o que podemos esperar do evento. Confira:

O que é capitalismo consciente? Como ele está atualmente no Brasil?

Capitalismo Consciente existe para ajudar a transformar o jeito de se fazer investimentos e negócios no Brasil, para diminuir a desigualdade. Hoje somos um instituto sem fins lucrativos que faz o advocacy em busca do nosso propósito e para elevar a consciência dos lideres para mudarmos o status-quo do Capitalismo para o acionista que não funciona mais para um Capitalismo para todos.

O que essa pandemia nos ensinou sobre como lidar com nossos negócios e como fazê-los mais valiosos para a sociedade?

A pandemia ainda está nos ensinando, não é possível que saiamos deste momento, levando apenas as dores das tristes lembranças das pessoas falecidas, dos empregos perdidos e das empresas fechadas. Temos que sair renovados de esperança que esse tempo nos ajudou a refletir muito sobre que tipo de negócio queremos ter e em qual tipo planeta queremos viver.

O futuro será melhor?

Sem duvida será melhor, estamos elevando ainda mais a consciência dos lideres e buscando fazer verdadeiros investimentos ASG (ambientais, sociais e de governança) para que nossas ações realmente sejam refletidas numa cura geral à sociedade, por meio dos negócios, gerando prosperidade e tirando as pessoas da pobreza, diminuindo a desigualdade.

Qual sua expectativa para o festival?

Muito positiva, uma ação coordenada pela Reserva com a pegada positiva de todos que voces fazem, provocada pelo Rony e com muita mas muita gente boa, que pensa no bem, falando, não pode passar sem deixar para sempre uma mensagem de otimismo que o futuro nos Reserva!

Curtiu? Confira também:

‘A jornada será mais fácil’ – Andre Farber, do grupo Boticário, destaca avanços durante a pandemia

‘Ganha quem aprende mais rápido’ – Renato Mendes, mentor de startups, fala sobre inovações observadas na pandemia

Por mais poetas nos negócios – Co-fundador de clube de livros com 55 mil associados torce por empreendedores com ideais