Limonada

Mentoria de 15s: inovação

Rony Meisler responde a nova rodada de perguntas dos seguidores no Instagram com foco em inovação

Por Rony Meisler
25 de junho de 2020

Dando sequência à série “Mentoria de 15s“, desta vez com o tema “Inovação”, respondendo a perguntas de seguidores no Instagram.

É possível inovar como designer?

Rapaz… Design é complexidade bem resolvida. Inovação e design são sinônimos em minha humilde opinião. A propósito, se vocês querem ver a prova real disso, sigam o Fernando Degrossi.

Como você usa a criatividade em seus processos de inovação?

Quem faz a inovação em nosso negócio são as pessoas fantásticas que conosco trabalham. Meu papel é o de encontrar gente boa que tenha valores parecidos com os nossos, e dar a elas autonomia para tentar, errar, melhorar e acertar continuamente. E tento liderá-las através do exemplo, da humildade, da coragem e da sinceridade sempre. É esse o meu processo de inovação. 🙂

Quero uma dica. Tenho um restaurante. Como posso inovar, ser diferente? Como encantar?

Vou te dar a mesma ideia que certa vez eu dei para um amigo e sócio da Momo Gelateria.

Eu costumava ir tomar sorvete com minha esposa perto do fechamento da loja, e reparei que sobrava muito sorvete.

Sugeri que ele criasse a “xepa” do Momo, venda e preços convidativos na última hora de funcionamento da casa.

Bombou!!! E rola até hoje.

Inovar é solucionar problemas do nosso dia a dia. Cria a “xepa” do seu restaurante e a comunique bem.

Fica ainda a dica de doar um prato de comida para cada prato vendido na xepa. Pré-covid, 53 milhões de brasileiros(as) não sabiam se comeriam algo hoje. Esse número vai piorar.

Começando com e-commerce, até então só lojas físicas. O que não pode faltar?

1 – Site simples, rápido e com checkout que funcione.

2 – Linguagem humana. Fuja do corporativismo, explique seu produto da forma como você explicaria para seus amigos e amigas e não como se estivesse com um script decorado.

3 – Escreva uma carta à mão e agradecida, coloque o cheirinho da sua loja e surpreenda o(a) cliente no tempo de entrega.

Para quem começa um business pequeno, e quer ser grande, o que é mais importante?

Sempre se considerar pequeno e não parar jamais de aprender e estudar. Quando começamos a nos achar inteligentes, nos tornamos preguiçosos.

 

mundo pós-pandêmico

 

 

Como inovar em franquia?

Marketing digital.

1 – Crie conteúdo regular não vendendo o seu produto, mas a solução que ele permite. Não venda panelas, venda o jantar em família. Caso a franqueadora não permita fazer isso em nome dela, se transforme em uma influenciadora digital da marca, fale como pessoa física.

2 – Caso a franqueadora não lhe permita vender digitalmente, aprenda a fazer mídia paga no Google e Facebook para trazer fluxo para a sua loja física (pós-isolamento social) ou para o seu whatsapp (durante o isolamento).

3 – Cadastre todos os seus clientes, faça um curso simples de CRM na internet e crie réguas automáticas e programáticas de comunicação recorrente com ele.

4 – Caso seu produto seja de consumo recorrente, venda uma mensalidade a um melhor preço para ter a garantia de consumo mensal.

5 – Quando os seus testes derem certo, venda um curso online ensinando suas táticas para os outros franqueados.

Que competência é preciso para uma pessoa ser inovadora, ou empresa mesmo?

Inovação não nasce em árvore. Não é vocacional. A matéria-prima da inovação é a curiosidade. Se você fizer as perguntas certas, a inovação será o produto das respostas que você dará a elas. Curiosidade para estudar muito e coragem para tentar quando vierem as ideias a reboque.

Vi que estão levando o cliente direto para o Whatsapp da loja mais próxima. Curti, inovação total.

Oh, yesss! Clica aqui pra ver.

Delivery de pizza.

Eu me cadastro na primeira vez que comprar de você e digo qual meu endereço e a minha pizza favorita (peço a mesma há 39 anos).

Depois disso o seu site só tem um botão: comprar.

Fim.

Como agregar valor no varejo (revenda de produtos)?

1 – Criar marca própria.

2 – Vender a curadoria ao invés do produto. Exemplo: venda o kit de produtos para o casal viver o mês inteiro ao invés dos produtos isolados. Assim a sua marca passa a ser o tempo e a comodidade que você dará para o seu cliente.

3 – Conteúdo, conteúdo e mais conteúdo. Vire um influenciador(a) social das marcas que você vende e venda o benefício, ao invés do produto (férias em família ao invés da passagem do avião). As pessoas compram o destino, e não o caminho.

Vou criar uma empresa para capacitação de vendedores. Como aumentar a barreira de entrada?

Não cobre pelo curso caso os alunos não arrumem um emprego.

Dê a capacitação e faça um acordo com eles para receber o valor do curso apenas quando eles receberem o primeiro salário.

Por outro lado, prospecte uma empresa e faça um acordo de que mandará apenas os melhores alunos para ela, sem custo, porque é o aluno quem paga caso arrume o emprego.

Para o aluno, a vantagem é clara, e para a empresa, a vantagem é ter um departamento de recrutamento e treinamento 100% gratuito.

Você amarra oferta com demanda.

OS: É tão ganha-ganha. Até os maus alunos ganham porque se não arrumarem  emprego, terão ganhado a capacitação de graça.

Inovação = utilização da tecnologia para suprir as dores do cliente?

Sim. Exceto para o fato de que inovação tem necessariamente a ver com tech.

Nós, por exemplo, distribuímos Antarctica Original gelada nas lojas para nossos clientes. Fazemos isso há anos, quando ninguém fazia.

Na sua opinião, qual será a nova onda de inovações, e voltadas para qual objetivo?

Capitalismo consciente.

O inovador(a) resolve problemas das pessoas.

O Brasil tem tantos problemas sociais. Não me refiro aqui apenas ao empreendedorismo social. Você pode empreender um negócio com fins lucrativos, mas que resolva problemas da sociedade.

A Reserva é uma empresa B, certificação internacional para negócios guiados pelo propósito e pela visão de que o lucro não deve apenas ser o financeiro.

Busque saber mais: @sistemabbrasil e @capitalismoconscientebrasil.