Listas

5 histórias da Mangueira

Algumas curiosidades sobre a escola de samba verde e rosa, que ganhou uma coleção especial feita pela Reserva

Por 2min
11 de fevereiro de 2021

Neste ano, como se sabe, não teremos carnaval. Isso afeta não apenas o período de folia, mas o próprio ganha-pão de milhares de pessoas que atuam na festa. Por isso mesmo, a Reserva se uniu à Mangueira para criar a coleção Samba pra vestir, que terá os lucros revertidos para a escola mais popular do Brasil.

Mas será que você, mangueirense ou amante do samba, conhece a história da agremiação? Fizemos uma breve lista. Confira:

1 – A Mangueira é uma das mais tradicionais escolas de samba, fundada em 1928. Porém, pouca gente sabe que, antes dela, já se fazia muito carnaval no morro tijucano. Por lá haviam dois cordões (Guerreiros da Montanha e Trunfos da Mangueira), três ranchos (Pingo de Amor, Pérola do Egito e Príncipes da Mata) e diversos blocos, sendo o mais famoso deles o Bloco dos Arengueiros.

2 – Já se perguntou de onde vem o nome “Estação Primeira”? É que, seguindo a linha de trem da Central do Brasil em direção ao subúrbio, a estação em frente ao Morro de Mangueira era a primeira onde havia samba.

3 – Já o Morro de Mangueira tem este nome em homenagem à fábrica de Chapéus Mangueira, que funcionava ali ao lado. E a fábrica – que se chamava originalmente Fábrica de Fernandes Braga – mudou de nome por causa da grande incidência da árvore frutífera na região.

4 – E as cores? Por mais que a associação “verde e rosa” esteja diretamente ligada à escola, esta não é uma originalidade da agremiação. Foi uma homenagem de Cartola (um dos fundadores da escola) ao Rancho dos Arrepiados, que desfilava por Laranjeiras – uma lembrança dos carnavais de sua infância.

5 – Na bandeira da escola, constam 20 estrelas, que representam os campeonatos conquistados. Uma delas é maior, para lembrar o supercampeonato de 1984 (ano inaugural do Sambódromo); e outra tem as cores olímpicas, simbolizando o título de 2016, quando os Jogos aconteceram no Rio.

5 – Por falar em títulos: antes da escola de samba, a região abrigou um clube de futebol, o Sport Club Mangueira (que era rubro-negro). Ao contrário da agremiação carnavalesca, o Mangueira nunca ganhou um título enquanto existiu, entre 1906 e 1927 – antes, portanto, do primeiro desfile. O time ficou marcado por ter sofrido a maior goleada da história do Campeonato Carioca (24 a 0 para o Botafogo, em 1909).