Listas

7 motivos para pedalar

Reserva lança bike elétrica com a Watts: faz bem pra saúde, pra economia e pro meio ambiente

Por 2min
10 de dezembro de 2020

Apesar de todas as dores, 2020 sem dúvida deixará um legado positivo em alguns temas. Por exemplo, num determinado recorte sobre mobilidade urbana. O uso de bicicletas passou a ser um aliado do distanciamento social, diminuindo o número de passageiros que dividem o transporte público. E esta é apenas uma das vantagens. Listamos aqui 7 benefícios – pra você e pra coletividade – do uso de bikes. Pedalar faz bem pra saúde, pra economia e pro meio ambiente.

(Ah, aproveitamos pra comunicar: a Reserva acaba de lançar sua bike elétrica, em parceria com a Watts. Com um quadro tamanho 16, dobrável, para facilitar o transporte, atinge 25 Km/h e tem autonomia de até 20 Km. O custo para a carga completa de energia é e R$ 0,50.)

1 – Andar de bicicleta proporciona uma sensação de bem-estar. A relação do indivíduo com seu ambiente urbano é essencial para a qualidade de vida por ele experimentada.

2 – Uma pesquisa realizada em 2017, em São Paulo, comprova que ciclistas tendem a ter menos estresse e irritação se comparado ao resto da população da cidade. Os números dizem que 38% dos ciclistas têm essa sensação raramente ou nunca, e 14% sempre ou frequentemente; entre os demais, 29% irritam-se raramente, e 36% quase sempre.

3 – Pedalar é bom para o meio ambiente. Segundo a mesma pesquisa, 31% das viagens de ônibus poderiam ser pedaladas, assim como 43% dos deslocamentos de automóvel. Se o potencial fosse atingido, haveria uma redução de até 18% da emissão de CO2 oriunda dos transportes na cidade de São Paulo.

4 – Na pandemia, as vendas de bikes aumentaram em até 60%, sendo que as elétricas viram crescer em 50% o consumo, segundo o jornal inglês The Guardian; de acordo com o Bike Rio (bicicleta compartilhada na Cidade Maravilhosa), de abril a agosto deste ano o amento e viagens foi de 63%; paulistanos dizem que vão passar a usar mais bicicletas no pós-pandemia; em Nova York, os deslocamentos aumentaram 50% em relação a 2019; no Google Maps, a busca por ciclovias bateu um recorde histórico, com 69% de aumento; assim como a procura por oficinas de conserto de bikes que estavam paradas antes da quarentena.

Não se trata simplesmente de uma moda. Como já dito, pedalar desafoga o transporte público e, como bônus, melhora o preparo físico (o que ajuda na imunidade anti-corona). Só na cidade de São Paulo, segundo uma pesquisa do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), a economia anual do SUS graças aos ciclistas chega a 13% de seu custo total, já que evita internações por doenças cardiovasculares e diabetes.

5 – A bike elétrica, em especial, supre uma parte ainda maior dos deslocamentos feitos de carro (já que aumenta o trajeto percorrido de 3Km para 8Km, em relação à bike tradicional), representando mais de 70% dos deslocamentos.

6 – A impressão pode ser outra, mas em média a bicicleta economiza tempo de deslocamento, se comparada ao carro, porque não para em engarrafamentos.

7 – E, claro, a economia é significativa também em dinheiro. Em SP, trocar o carro pela bike representa economizar R$ 451 por mês.