Listas

8 museus pra visitar na quarentena

Isolamento causa corrida a tours virtuais: se você não pode ir até eles, eles vão até você

Por 2min
20 de março de 2020

Museu no fim de semana é sempre um bom programa pra fazer com a família. Em tempos de quarentena não precisa ser diferente. Se você não vai até o museu, o museu pode ir até você em alguns cliques. Listamos algumas dicas de museus com visitas online e outras exposições virtuais sobre arte, pra colocar em dia.

1 – O Google Arts & Culture traz a “Moça com brinco de pérola”, de Vermeer, como você nunca viu – e nem veria mesmo ao vivo. O quadro original foi digitalizado em gigapixels, e é possível ver detalhes de como o grande artista holandês construiu sua obra-prima. E, claro, tem uma infinidade de outras atrações – afinal, é o Google, né?

2 – O Reino Unido demorou a tomar medidas mais drásticas como o fechamento de museus. Apenas na quarta (18) as principais instituições anunciaram o encerramento temporário de atividades. Porém, entre os dias 1º e 18, o número de visitantes virtuais do British Museum mais do que dobrou – de 473 mil para 979 mil acessos no período. A principal origem (203 mil visitas) foi a Itália, que está numa quarentena severa e é o país mais afetado pela Covid-19. O museu preparou, para o período de afastamento, alguns tours virtuais e programas especializados para escolas.

3 – Por falar em Itália: a Galeria Uffizi, de Florença, também tem imagens em altíssima definição.

4 – E a Brera Pinacoteca, de Milão, tem a coleção de 669 obras online.

5 – O Louvre, que recebeu quase 10 milhões de visitantes em 2019, fechou as portas em 1º de março, mas também disponibiliza visitas virtuais a seu acervo. Mona Lisa, hoje? É pra já!

6 – O Metropolitan, de Nova York, não apenas criou um conteúdo extra para o período de quarentena como tem feito transmissões ao vivo de sua ópera. A cada noite (19h30 local, 21h30 de Brasília), uma apresentação diferente, que permanece online pelas 20 horas seguintes e, posteriormente, no app (pago).

7 – No Brasil, o Museu da Imagem e do Som de São Paulo tem mais de 30 mil itens apenas entre os arquivos fotográficos.

8 – E a internet é tão sinistra que nos permite visitar até mesmo o Museu Nacional, consumido pelo incêndio de setembro de 2018. Em parceria com o Google, a instituição disponibiliza um tour guiado por sua coleção antes da tragédia.