Listas

Mamonas Assassinas, 30 anos

Listamos 6 curiosidades sobre a banda, que em junho festejaria 3 décadas de formação e 25 anos de lançamento do disco

Por 2min
17 de setembro de 2020

O mês de junho marcou duas efemérides significativas para a música brasileira: 30 anos da formação do grupo Utopia – que mais tarde adotaria o nome com que se consagrou, Mamonas Assassinas – e 25 anos do lançamento do álbum da banda, de mesmo nome.

Embora curta – eles foram vítimas de um acidente aéreo em março de 1996 –, a trajetória dos meninos de Guarulhos marcou para sempre o público brasileiro, que até hoje canta sucessos como “Pelados em Santos”. O fim trágico não apagou a lembrança do grupo alegre e debochado liderado por Dinho.

Para celebrar os Mamonas, listamos 6 curiosidades sobre a banda, que foi homenageada com uma coleção da Reserva + (inspirada na clássica foto do CD da banda, uma reedição dos looks usados por Dinho e companhia. São camisas, camisetas e versões RSV+ dos chapéus fantasiosos que foram transformados em bonés, mantendo a paleta de cores original). Confira:

1 – Dinho não era um dos integrantes originais do Utopia. Mas esteve presente a um show do grupo em julho de 1990 – um dos primeiros da banda. Habituados a fazer cover de Legião, Ultraje, Paralamas e Barão Vermelho, os músicos não sabiam cantar “Sweet Child O’mine”, do Guns’n’roses, um pedido do público. Foi então que surgiu o futuro vocalista: na base da embromação, levou a música e cativou o público – e os rapazes que passariam a ser seus parceiros a partir de então.

2 – Já com Dinho e Júlio Rasec, último a entrar para o grupo, o Utopia fez shows para pouquíssima gente e sem ganhar dinheiro algum. Num deles, no interior de São Paulo, dormiram no palco em que se apresentaram, por falta de dinheiro.

3 – O único disco do Utopia, lançado em 1992, vendeu apenas 100 dos 1.000 exemplares produzidos. O álbum “Mamonas Assassinas”, de 1995, venderia quase 3 milhões, e até hoje figura entre os mais vendidos da história fonográfica nacional.

4 – Por sugestão de um produtor, acabou Utopia e surgiu Mamonas. Mas quando se decidiu pela mudança de perfil, outros nomes foram cogitados: Tangas Vermelhas, Coraçõezinhos apertados e Os Cangaceiros de Teu Pai foram alguns candidatos a nome.

5 – Quando foram gravar o disco, a ideia era registrar 15 faixas. Porém, “Não Peide Aqui, Baby”, uma paródia de “Twist and shout”, foi defenestrada por conter palavrões demais – mesmo para o padrão Mamonas.

6 – O logotipo dos Mamonas Assassinas é uma inversão do da Volkswagen, com a adição de um traço para fechar as iniciais MA, em vez de VW. Além da Brasília (amarela), carro da montadora, eles citaram a Kombi em uma música (“Lá vem o alemão”).

Curtiu? Veja também:

Pode entrar que a Selvvva é sua

14 fatos sobre ‘The last dance’ (RSV + NBA)