Ser

Sorriso rebelde

Igor Monteiro, da Escola de Rebeldia, reconhece que foi um ano duro, mas também tem motivos para festejar

Por 2min
10 de dezembro de 2020

 

Igor Monteiro tem reconhecidamente um dos sorrisos mais fartos e fáceis de toda a Reserva. Porém, em maio veio o susto: cansaço forte, dores no corpo, febre e perda de olfato e paladar. Felizmente, sintomas brandos. Um exame confirmou o diagnóstico. Neste Natal, além de celebrar a vida, a Reserva traz uma mensagem positiva, de esperança, através de 16 personagens que superaram o coronavírus. Gente como Igor.

– Sou otimista, mas este ano deu uma balançada, sem dúvidas. Algo que sem dúvidas me ajudou foi voltar para casa da minha mãe nos três primeiros meses da pandemia. Além de ter mais espaço para a família, foram momentos em que eu, minha mãe e meus dois irmãos pudemos tornar a ter um convívio mais diário – lembra. Quase toda a família se contaminou – e se apoiou – simultaneamente.

Sou otimista, mas este ano deu uma balançada

Passado o susto da doença, alguns mergulhos no mar o ajudaram a recuperar a expressão sempre serena.

– Só de lembrar aquela sensação de estar ao sol já me desperta um sorriso – diz Igor, que também festeja os bons momentos com a namorada, Vanessa, nas horas mais difíceis.

Profissionalmente, Igor tem razões de sobra pra considerar 2020 um ano de realizações. À frente da Escola de Rebeldia, braço de educação e desenvolvimento da Reserva, lançou também a Integra – escola de negócios e liderança, voltada para franqueados e multimarcas. Foram disponibilizados oito módulos com mais de 20 horas de conteúdo, entre aulas e lives, compartilhando o modo de ser e fazer da Reserva.

– Foi um projeto-chave, porque passamos a atender diretamente a esse público mesmo estando distantes – avalia, lembrando que 2021 reserva muitas novidades.