Ser

Uma barba de respeito

O ator Alexandre Delarissa virou Alê Barba Ruiva e viu sua vida mudar - para muito melhor

Por 2min
23 de fevereiro de 2020 Atualizado em 25/02/2020 às 17:52

O símbolo do teatro – uma máscara sorrindo, outra chorando – remete à Grécia antiga, berço do drama e da comédia. Também serve para dizer que atores vestem máscaras para entrar em seus personagens. O ator Alexandre Delarissa, 34 anos, usa uma máscara toda própria: a barba, que o transforma em Alê Barba Ruiva.

— Comecei fazendo teatro e publicidade. Desde festa infantil a ficar em cartaz na África, já fiz de tudo um pouco, inclusive séries e filmes – conta.

E, por causa do trabalho, durante muito tempo ele adiou o desejo de deixar o pelo do rosto crescer. Achava que seu “disfarce natural” restringiria seus papéis. A decisão sobre um novo visual veio apóshttps://www.instagram.com/alebarbaruiva/ o fim de um casamento.

— Quando você fica muito tempo com uma pessoa só, acaba vivendo outras coisas. Estava em busca da minha personalidade de volta. Também estava cansado de fazer sempre os mesmos personagens. Aí deixei crescer. E instantaneamente meu Instagram começou a bombar! “Muito louca sua barba, como você cuida, o que você passa?”, começaram a me perguntar. E foi – recorda.

O passo seguinte foi criar o Canal do Barba Ruiva no Youtube. No Instagram, já são 44 mil seguidores, e na plataforma de vídeos, quase 10 mil. Lá, fala sobre barbas e barbearias, que ele chama de “universo vintage moderno”.

Deixei a barba crescer e meu Instagram começou a bombar

— Coisas como charuto, que era de tiozão, estão voltando. Já tem três anos que eu não vejo meu queixo. E não estou com saudade dele – diverte-se.

Aqui vale um paralelo com outro personagem famoso, o bíblico Sansão, que tinha sua força oriunda do cabelo. O crescimento da barba causou em Alê um fenômeno totalmente inesperado: o aumento da autoestima, como se fosse um Sansão barbado.

— Me deu até uma postura física diferente. Me sinto maior de barba – avalia.

E até o maior medo de Alê evaporou-se: em vez de perder papéis no teatro pela nova aparência, começaram a surgir outros, diferentes dos que estava habituado.

Se algo mudou para pior foi o tempo que Alê passou a perder diante do espelho. Atualmente, ele perde para a namorada na demora para se arrumar, antes de sair de casa. — Tem um ritual muito forte. Tava querendo fazer um vídeo com a minha namorada, colocando um reloginho enquanto os dois se arrumam. Porque eu uso shampoo e condicionador de barba, depois seco com a toalha, passo um balm… Penteio, finalizo com secador, passo um óleo pra dar um brilho e deixá-la bem hidratada. Na época em que só tinha cabelo, eu era do tipo que não usava nem condicionador, não tinha cuidado nenhum – resume.

Outro plano de Alê é raspar geral. Isso mesmo: tirar tudo. Mas só provisoriamente, para fazer um vídeo longo, com todo o processo de crescimento. O que atrasa a ideia é que ele sabe da importância que tem para os seguidores (“muita gente que quer deixar a barba crescer se espelha na gente, aí você tira e aquela galera dá uma recuada”) e também já imagina o desafio que seria ter que refazer seu armário, caso raspasse seu poderoso acessório:

— A barba conversa muito com meu estilo. Fico pensando: se eu tirar, com as roupas que eu tenho, se elas se adaptariam comigo sem barba.

Por isso ele vai deixar as barbas de molho enquanto espera a vontade passar.